Ir para o conteúdo
Blogs de indústria da Microsoft

Pessoa com capacete em frente a um grande tubo de metal

A transformação digital está mudando fundamentalmente a forma como o setor público opera. As agências governamentais estão lentamente adotando o uso de ferramentas digitais para melhorar o atendimento ao cidadão. Mas, ao contrário de outras indústrias, o setor governamental tem desafios específicos: 

  • Orçamento contingenciado 
  • Regras de contratação rígidas 
  • Muito escrutínio público 
  • Natureza metódica e burocrática 

Os executivos do setor público e os diretores de informação (CIOs) desejam atender às altas expectativas de serviço de uma população que se acostumou com a velocidade e a conveniência do setor privado, porém, o orçamento tem impedido que muitas agências se movam na velocidade que desejam. Como sempre, os custos de atualizações de TI e ferramentas digitais são uma barreira significativa para todas as esferas públicas. 

Uma transformação digital bem-sucedida no setor público requer a participação de todos os trabalhadores – desde líderes seniores a funcionários públicos e demais colaboradores. Entre todos os trabalhadores do setor público, existe um grupo-chave no processo de transformação: os funcionários da linha de frente. 

Mundialmente, existem cerca de 300 milhões de trabalhadores de linha de frente no setor público, que atendem às preocupações dos cidadãos diariamente, enquanto navegam na burocracia governamental para fornecer serviços essenciais aos cidadãos. Sua formação e capacitação são potencializadas com a aquisição de novas tecnologias. 

Somente entrando na era digital podemos realmente começar a garantir a sustentabilidade ambiental, o crescimento econômico e a inclusão social. Um local de trabalho verdadeiramente moderno capacita os funcionários com as ferramentas e soluções certas para conectar os cidadãos aos serviços por meio de operações simplificadas e modelos de trabalho mais eficientes. 

 

IMPULSORES PRIMÁRIOS 

Saiba mais sobre os principais motivadores para a criação de uma força de trabalho de linha de frente mais capacitada e conectada digitalmente, de acordo com os entrevistados da pesquisa da MicrosoftA C-suite Blueprint for Empowering Firstline Workers” (clique aqui). 

SERVIÇO AO CLIENTE PRODUTORES/OPERADORES Produtividade/eficiência | 67% | 67% Compromisso/satisfação do cliente | 67% | 67% Melhoria da qualidade do produto/serviço | 62% | 43% Maior inteligência de mercado/compreensão do cliente | 59% | 61% Maior inovação | 50% | 30% Funcionário mais qualificado | 40% | 37% Compromisso/satisfação | 30% | 37% FONTE: HARVARD BUSINESS REVIEW ANALYTIC SERVICES SURVEY, JULY 2017

O profundo conhecimento dos colaboradores da linha de frente sobre o que as pessoas querem de seu governo e como podem atingir esses objetivos, pode ser potencializado com a adoção de tecnologia, automação de tarefas repetitivas e burocráticas e planos de ação para motivá-los, fazendo com que o estado goze de melhores níveis de satisfação cidadã. 

A inteligência artificial pode ajudar as agências de serviço social a reduzir os encargos administrativos. 

Os chatbots podem responder a perguntas rotineiras para que os agentes do call center possam dar atenção personalizada às necessidades mais complexas dos cidadãos. 

Os sistemas de iluminação inteligente podem informar automaticamente o pessoal do governo quando há problemas antes que os cidadãos os contatem. 

Sensores inteligentes podem melhorar a segurança ou detectar água parada numa ruptura da tubulação principal. 

Na Microsoft, nossa missão é capacitar cada pessoa e organização do planeta para realizar mais. Os funcionários da linha de frente do setor público podem contar com ferramentas para preencher lacunas tecnológicas de longa data que os separam dos dados, recursos e experiência de que precisam para fazer melhor seu trabalho. 

Em um mundo mais rápido e competitivo, uma das principais prioridades dos líderes governamentais deve ser liberar esse potencial, capacitando seus trabalhadores da linha de frente.